31/08/2018 - 07:39 | Economia

Contas do governo registram déficit de R$ 7,54 bilhões em julho

Contas do governo registram déficit de R$ 7,54 bilhões em julho

Contas do governo registram déficit de R$ 7,54 bilhões em julho

Resultado engloba contas da União, da Previdência Social e do Banco Central e foi o melhor para meses de julho nos últimos quatro anos. No acumulado do ano, déficit soma R$ 38,87 bilhões.

A Secretaria do Tesouro Nacional informou nesta quinta-feira (30) que as contas do governo registraram déficit de R$ 7,54 bilhões em julho deste ano.

Embora tenha sido negativo, o resultado foi o melhor para os meses de julho nos últimos quatro anos (veja no gráfico mais abaixo).

O resultado divulgado nesta quarta pelo Tesouro mostra queda de 62,6% na comparação com o déficit registrado em julho do ano passado, quando somou R$ 20,15 bilhões.

A melhora do resultado das contas do governo está relacionada ao aumento na arrecadação, que teve o melhor mês de julho em sete anos.

Parcial do ano e meta fiscal

 

No acumulado dos sete primeiros meses deste ano, ainda de acordo com o Tesouro Nacional, as contas do governo registraram déficit primário de R$ 38,875 bilhões.

Com isso, o déficit primário (despesas maiores do que receitas, sem contar juros da dívida) recuou 49,3% frente ao mesmo período do ano passado (-R$ 76,633 bilhões). Esse foi o melhor resultado para este período desde 2015, informou a instituição.

O desempenho das contas públicas neste período pode ajudar o governo no cumprimento da meta fiscal para este ano, ou seja, do resultado pré-fixado para as contas públicas.

Para 2018, o governo está autorizado a registrar déficit (despesas maiores que receitas) de até R$ 159 bilhões. Esse valor também não inclui os gastos com juros da dívida.

O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, afirmou que espera um "crescimento expressivo" de despesas com Previdência e pessoal nos últimos cinco meses deste ano, mas acrescentou que, mesmo assim, existe a possibilidade de o rombo fiscal ficar abaixo da meta fixada para o ano de 2018."A gente corre o risco de terminar o ano com déficit primário de R$ 130 bilhões. Vai facilitar o trabalho do próximo presidente da República, cujos assessores estão falando em zerar o déficit [das contas] em um ou dois anos", declarou.

Previdência Social

 

O Tesouro também divulgou nesta quarta-feira as contas da Previdência Social. Saiba abaixo:

 

  • Resultado de julho: déficit de R$ 14,547 bilhões;
  • Acumulado do ano (até julho): déficit de R$ 105,369 bilhões;
  • Projeção do governo para 2018: déficit de R$ 196,636 bilhões.

 

O governo chegou a propor, ainda em 2016, a reforma da Previdência Social. O texto foi aprovado por uma comissão especial da Câmara, em maio de 2017, mas não avançou deste então.

Em fevereiro deste ano, o governo tentou retomar a tramitação da proposta, mas desistiu diante da falta de votos.

 

Receitas, despesas e investimentos

 

Em julho deste ano, segundo dados do Tesouro Nacional, a chamada receita líquida total (após as transferências a estados e municípios) registrou alta de 14,3%, chegando a R$ 106,4 bilhões. Na parcial do ano, avançou 7,6%, para R$ 707,57 bilhões.

Ao mesmo tempo, as despesas totais registraram uma queda real de 0,2% em julho deste ano, para R$ 113,948 bilhões, na comparação com julho de 2017. Nos sete primeiros meses do ano, houve uma alta real de 1,9%, para R$ 750,466 bilhões.

Os investimentos, por sua vez, somaram R$ 24,649 bilhões de janeiro a julho deste ano. No mesmo período do ano passado, foram de R$ 19,953 bilhões.

 

Concessões, dividendos e subsídios

 

Segundo o governo, as receitas com concessões tiveram alta de 3,5% no acumulado de janeiro a julho, para R$ 3,056 bilhões. No mesmo período do ano passado, somaram R$ 2,952 bilhões.

Ao mesmo tempo, o governo também recolheu mais dividendos (parcelas do lucro) das empresas estatais nos sete primeiros meses de 2018: R$ 5,652 bilhões, ante R$ 4,302 bilhões no mesmo período do ano passado.

No caso do pagamento de subsídios e subvenções, houve queda. De janeiro a julho deste ano, somaram R$ 11,902 bilhões, contra R$ 17,064 bilhões no mesmo período do ano passado.


voltar