07/02/2018 - 11:33 | Economia

Rabello respaldou negócio que deu perda total ao Postalis

Presidente do BNDES era do comitê da SR Rating, que não identificou riscos

Rabello respaldou negócio que deu perda total ao Postalis

Presidente do BNDES era do comitê da SR Rating, que não identificou riscos

 
 
 
 
7.fev.2018 às 2h00
Fábio Fabrini Mariana Carneiro
Brasília
Paulo Rabello de Castro, atual presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), durante cerimônia em Brasília Paulo Rabello de Castro, atual presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), durante cerimônia em Brasília - Adriano Machado/Reuters

O atual presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), Paulo Rabello de Castro, respaldou investimentos que resultaram em perda total ao Postalis, o fundo de pensão dos funcionários dos Correios.

Relatório da Operação Pausare, obtido pela Folha, diz que o fundo não recuperou nenhum centavo dos R$ 109 milhões aplicados em CCIs (cédulas de crédito imobiliário) emitidas pela Mudar Master II Participações, entre 2010 e 2011. Para fazer essa aplicação, o Postalis considerou pareceres produzidos pela empresa de classificação de risco SR Rating, que pertence ao executivo.

Rabello e três outros dirigentes eram os integrantes do comitê responsável pela avaliação dos investimentos.

"Nenhuma parcela de juros ou amortização dos títulos foi honrada. As empresas investidas [que receberam investimento] não fizeram nenhum pagamento ao Postalis, tendo todo o dinheiro do fundo de pensão simplesmente desaparecido. O total fracasso dos investimentos é o principal indicativo da ocorrência de fraude na avaliação dos papéis", escreveram o procurador da República Ivan Marx e o delegado Luiz Flávio Zampronha.

O propósito da investigação, segundo o relatório, é aprofundar a apuração do envolvimento de Rabello e outros profissionais no "esquema criminoso" identificado.

Rabello foi um dos alvos da Pausare, deflagrada pelo MPF (Ministério Público Federal) e pela Polícia Federal na quinta (1º). Houve apreensão de documentos na casa dele, que também teve os sigilos bancário e fiscal quebrados.

O valor investido pelo Postalis nas CCIs seria aplicado em empreendimentos imobiliários de outras empresas do mesmo grupo responsável pela emissão das cédulas. Pagariam a dívida ao fundo com a receita desses projetos, mas ficaram inadimplentes.

A suspeita da PF e do MPF é que as obras nunca saíram do papel, tendo sido criadas "apenas com o objetivo de facilitar o desvio de recursos".

As cédulas emitidas pela Mudar estavam lastreadas em debêntures (títulos de dívida) lançadas por empresas do mesmo grupo. Os investigadores afirmam que esses títulos não existiam e que não havia garantias reais para o investimento do Postalis.

A SR Rating deu nota "brA" para as debêntures e cédulas de crédito (satisfatória ou boa, no âmbito local e no prazo analisado).

O MPF diz que as análises são repletas de elogios à Mudar, mas carentes de informações técnicas. Segundo os investigadores, não descreviam os nomes e o papel das empresas do grupo que estavam envolvidas em cada uma das emissões de CCIs. Faziam somente "breves menções" às obras de destino dos recursos. Também não constava detalhamento sobre as reais garantias das operações.

A Mudar é do grupo do empresário Augusto Martinez Almeida, também alvo da Pausare. Foi criada em 2004, com foco em construção e venda de casas e apartamentos. Conforme a PF, a partir de 2009 --antes dos negócios com o Postalis--, a empresa deixou de entregar imóveis.

Em setembro de 2010, a SR atribuiu nota "brA" para debêntures da Mudar SPE Master Empreendimento Imobiliário, empresa do grupo que havia sido constituída só um mês antes. Para os investigadores, isso demonstra "má-fé" ou "participação voluntária" da empresa nas fraudes.

OUTRO LADO

SR Rating informou que "não recomenda, sugere ou dá aval" para que ativos sejam comprados, tampouco é responsável por fazer cumprir obrigações pactuadas entre as partes. Em nota, a empresa alegou que, após as análises iniciais, "fez alertas sobre a deterioração da qualidade do crédito" da Mudar. "Entre 2010 e 2015, a SR indicou uma queda consistente nas notas."

A agência argumentou que o agente fiduciário da operação --que defende o interesse do Postalis-- teve conhecimento das reavaliações, para baixo, da nota e deu ciência ao fundo, "que optou voluntariamente" em prosseguir com o investimento. A SR explicou que é "reconhecida" pela extensão, profundidade e qualidade dos seus relatórios. E rebateu que eram superficiais: "Há, sim, descritivo das empresas envolvidas, das garantias e dos riscos".

A SR justificou que a Mudar SPE foi criada quase que de forma concomitante à emissão das debêntures ou cédulas de crédito imobiliário "porque a captação de recursos era seu propósito".

A empresa acrescentou que refuta "as ilações levantadas" na investigação. A Folha procurou Paulo Rabello, mas ele encaminhou os questionamentos à SR.

A Mudar informou que "sempre se pautou pela mais estrita observância da legislação" e os "mais rigorosos padrões éticos".

"A lisura de suas atividades e das operações de que tomou parte pode ser atestada por farta documentação comprobatória, e seus acionistas já se colocaram à disposição dos órgãos oficiais." O Postalis disse que colabora com a investigação.

 
 
    1. Ministério Público acusa Decolar.com de manipular preços 

      Empresa é acusada de oferecer valor diferente conforme localização do cliente

      Sem incentivo, montadoras reveem planos

      Indefinição sobre Rota 2030 põe em xeque R$ 16,7 bi em investimentos

      TST adia decisão sobre impacto da reforma em contrato antigo

      Definição das regras da reforma trabalhista pode levar até três meses

       
      colunas e blogs
       

      Chinesa quer expandir negócios em energia e prevê fábrica

      CEE Power segue negócios bilionários fechados nos últimos anos no setor

      Ações

       
       
       

      Após correção, Bolsa brasileira e índices americanos sobem

      Dow Jones, dos EUA, sobe 2,3%, após maior queda em pontos da história

      aponta estudo

       
       
       

      Maioria entre 8 e 12 anos está exposta a risco cibernético

      Pesquisa avaliou 34 mil crianças em idade escolar de 29 países

       
       

      Petrobras inicia venda de Pasadena nos EUA

      Refinaria é alvo de investigações da Operação Lava Jato 

      seu bolso

       
       

      Ao vivo: acompanhe a movimentação do mercado financeiro no liveblog

       
       

      Ferramentas ajudam a organizar suas contas e a se planejar melhor

      moedas digitais

       
       
       

      Casas de bitcoin usam registro improvisado; entenda os riscos

       
       

      Todas as notícias, análises e explicações do que muda com a reforma

       
    2.  

      Governo diz que há cartel de postos de gasolina

      Ministro afirma que distribuidoras impedem que redução de preços na Petrobras cheguem ao consumidor

      7.fev.2018 às 11h54
    3.  

       
 
    1.  

      Governo apresenta nova proposta para reforma da Previdência

      Texto não trata de transição para servidores e dá benefício a viúva de policial

      7.fev.2018 às 11h34
    2. Mercado

       
 
    1.  

      Política restringe ofertas da Embraer e Bombardier às chinesas

      Regra 

      7.fev.2018 às 11h31
    2. Mercado

       
 
    1.  

      Petrobras pode ser privatizada no futuro, diz Alckmin

      Pré-candidato à Presidência, tucano disse ser 'totalmente favorável' a privatizações

      7.fev.2018 às 11h06
 
    1.  

      Alckmin diz que eleição dá legitimidade para aprovar reformas

      Tucano defendeu a reforma da Previdência, mas apontou fragilidades na proposta

      7.fev.2018 às 10h06
    2. Paul Krugman

       
 
    1.  

      Será que a 'trump-foria' encontrou limites?

      Podem ficar seguros de que temos as piores pessoas para enfrentar os problemas

      7.fev.2018 às 9h43
    2. Mercado Aberto

       
 
    1.  

      Prazo para inspeção da Anvisa deve cair 80%

      Há 672 pedidos na fila, segundo o dado mais recente da agência

      7.fev.2018 às 2h30
    2. Mercado

       
 
    1.  

      Acordo para repor perdas da poupança está nas mãos de Lewandovski

      Gilmar e Toffoli homologam acerto para pagar a poupadores dos anos 1980 e 1990

      7.fev.2018 às 2h00
    2.  

       
 
    1.  

      Receita de boa educação inclui caça a pais e reforço preventivo

      Bater nas portas das famílias para evitar que faltas culminem em evasão

      7.fev.2018 às 2h00
    2. Mercado

       
 
 

Rabello respaldou negócio que deu perda total ao Postalis

Presidente do BNDES era do comitê da SR Rating, que não identificou riscos

7.fev.2018 às 2h00
 
Tópicos relacionados

Endereço da página

  • https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/02/rabello-respaldou-negocio-que-deu-perda-total-ao-postalis.shtml

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

celso henrique

Há 1 hora

Pela inoperância desse governo, Rabello está mais para ser promovido do que ser demitido.

Responda Denuncie

Marcos Guedes

Há 5 horas

A situação do Postalis, da Funcef e da Petros não pode passar em branco. Os 03 fundos foram alvo de rapinagem viabilizada pelo conluio de sindicatos e partidos políticos com os governos petistas. O rombo é maior que o Petrolão e está sendo pago pelos aposentados e ativos das empresaas e pelos contribuintes. Muitos grupos políticos e econômicos se locupletaram . PF e MP precisam ampliar a operação Greenfield.

Responda Denuncie

JORGE PEREIRA DA SILVA

Há 4 horas

Rebello e você é Presidente de um Banco de Investimento, vai quebrar a banca rapidinho.

Responda Denuncie Todos os comentários (28) Comente*
* Apenas para assinantes

voltar