06/02/2018 - 09:18 | Previdência

INSS quer acabar com fila nas agências para pedir aposentadoria

Pelos cálculos do INSS, existem 200 mil agendamentos represados de pedidos de concessão de aposentadoria por tempo de contribuição

NSS quer acabar com fila nas agências para pedir aposentadoria

Pelos cálculos do INSS, existem 200 mil agendamentos represados de pedidos de concessão de aposentadoria por tempo de contribuição

more_horiz

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) quer reduzir as filas nas agências de segurados que querem dar entrada em pedidos de benefícios previdenciários. Para isso, está adotando medidas que visam automatizar o reconhecimento do direito ao pagamento.

As primeiras ações começaram no ano passado, com o envio de cartas avisando aos segurados que tinham atingindo as condições necessárias para se aposentar por idade. Depois da comunicação, o segurado precisa entrar em contato com o INSS por telefone ou site e responder que deseja se aposentar por idade.

Nesta segunda-feira, o INSS começou a conceder automaticamente o salário-maternidade para as trabalhadoras que estão com os dados cadastrais atualizados. O INSS consegue fazer essa checagem, pois passou a ter acesso aos dados de registro de nascimento dos cartórios do país.

O próximo passo é facilitar a concessão da aposentadoria por tempo de contribuição. O presidente do INSS, Francisco Lopes, disse a VEJA que o órgão vai aproveitar os dias de Carnaval para fazer uma grande atualização de seu banco de dados.

Hoje, o segurado precisa ligar ou agendar um dia e horário para ir até uma agência do INSS para dar entrada no pedido de aposentadoria por tempo de contribuição. Pelos cálculos do INSS, existem 200 mil agendamentos represados hoje, ou seja, à espera de atendimento. Dependendo da agência, o agendamento pode levar seis meses para ser marcado.

“Com a mudança, o segurado liga e o INSS checa se ele tem os requisitos necessários para se aposentar. Se tiver e quiser, já pode se aposentar. Tem que ser da vontade do segurado”, afirma Lopes, presidente do instituto.

Segundo ele, um novo benefício deve ser incluído no projeto que facilita a concessão a cada quatro meses. O próximo deve ser o seguro-defeso, pago aos pescadores artesanais.

Notícias sobre

Comentários
Deixe um comentário

voltar