11/12/2017 - 16:40 | Previdência

Dólar tem 3ª alta seguida com temor sobre reforma da Previdência

Moeda dos EUA avançou 0,08%, a R$ 3,2974 na venda, acumulando alta de 2,07% em 3 sessões.

O dólar fechou em alta nesta segunda-feira (11), se aproximando ainda mais no patamar de R$ 3,30, com o temor voltando a crescer sobre a capacidade política do governo de garantir a votação da reforma da Previdência neste ano.

A moeda dos EUA avançou 0,08%, na terceira alta seguida, a R$ 3,2974 na venda, maior nível de fechamento desde 14 de novembro (R$ 3,3094).

Em 3 sessões, o dólar acumula alta de 2,07%.

Na mínima do dia, a moeda norte-americana marcou R$ 3,2734, e, na máxima, R$ 3,3062.

Dólar nos últimos dias
Valor de fechamento por data
em R$cotação1/96/912/915/920/925/928/93/106/1011/1017/1020/1025/1030/1006/1109/1114/1121/1124/1129/1104/1207/123,053,13,153,23,253,33,35
20/10
cotação: 3,18998
Fonte: Reuters

O presidente Michel Temer admitiu no fim de semana a possibilidade de a votação da reforma na Câmara ocorrer apenas em 2018, pouco depois de dizer que não cogitava essa possibilidade.

"O mercado está pisando em ovos, reagindo a qualquer notícia. Cada dia que passa, vê que está complicado votar", afirmou à Reuters o gestor de derivativos de uma corretora local.

No final da manhã, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse ser "difícil" votar a reforma da Previdência na Casa na semana que vem e que só pautará a proposta caso existam garantias "muito claras" de que será aprovada.

Ao mesmo tempo, o deputado Carlos Marun (PMDB-MS), indicado como ministro da Secretaria de Governo pelo presidente Michel Temer e que será o articulador político do governo, disse que ainda buscava entre 40 e 50 votos favoráveis à proposta e que ela será colocada em debate na quinta-feira, mas não descartou a possibilidade de o tema ficar apenas para 2018.

 

Já o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, afirmou que, se o governo não conseguir aprovar a reforma da Previdência ainda neste ano, conseguirá em 2018. 'Não joguei a toalha', disse.

O governo precisa de votos de 308 deputados em dois turnos de votação.

O Banco Central vendeu o total de até 14 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares, em mais um leilão para rolagem do vencimento de janeiro. Até agora, rolou o equivalente a R$ 4,9 bilhões do total de R$ 9,638 bilhões que vencem no mês que vem.

No exterior, o dólar trabalhava com leve queda ante uma cesta de moedas e também frente a algumas divisas de países emergentes, como o rand sul-africano e a lira turca.

* Com Reuters

 
Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

 
 
MAIS DO G1